Do clássico ao contemporâneo, a arquiteta Maria Lavinia apresenta ambientes que vão além da funcionalidade

Maria Lavinia é arquiteta há mais de 15 anos e inclui em seu portfólio projetos variados tanto residenciais quanto varejo e corporativos. Essa bagagem que adquiriu ao atuar em Israel, Turquia e Brasil fez com que ela tenha um olhar apurado e versátil em se tratando de sua profissão.

“Mais do que um ambiente que funcione de forma satisfatória, minha busca enquanto arquiteta é criar cômodos agradáveis que respeite o estilo de vida de quem vai habitá-lo, equilibrando o desejo do cliente com o que melhor se adapta ao projeto”, afirma Lavinia.

Maria Lavinia

“Aqui a ideia era revisitar o clássico e por isso os acabamentos delicados com piso sextavado, combinando com o mármore branco e o lambril que se contrapõem ao tom caviar da parede, espelho e gabinete. O toque contemporâneo deixei com a cor e as portas lisas no gabinete”.

Maria Lavinia

“Esse é o lavabo de uma casa de praia que adorei fazer. Como o proprietário pediu que eu respeitasse as influências da região, optei por um estilo mais rústico e com elementos da natureza como, por exemplo, uma gamela usada como cuba e os metais oxidados”.

Maria Lavinia

“Neste projeto a ideia era um banheiro bem iluminado e clássico. Por isso escolhemos o tons de branco e investimos nos azulejos retangulares também conhecidos como “subway tile” com ares retrô. Entretanto, a sofisticação é dada pelo uso do marmoglass branco com acabamentos boleados e com molduras semelhantes a da marcenaria. O resultado glamuroso e contemporâneo é a prova de que revisitar o passado com o olhar do presente é sempre uma boa pedida”.

“O último lavabo faz parte de um apartamento que tem por volta de 40/50 anos – época em que as edificações em São Paulo não tinham o encanamento sobre a laje fechados com gesso, sendo sempre duas lajes (uma por baixo e outra cobrindo o encanamento). O espaço entre elas é chamado “caixão perdido” – o que possibilitou um lavabo construído onde antes era uma área da sala, tornando-se um novo ambiente. Além disso, o formato comprido também jogou a nosso favor porque permitiu algumas ousadias, como o espelho da bancada na lateral da torneira que por sua vez teve o frontão em limestone estendido até o teto com um painel giratório em espelho que funciona também como divisória.”

Serviço:
Maria Lavínia Arquitetura e Interiores
(11) 3294-1557
http://www.marialavinia.com.br

[Maria Lavínia no Arq]