A cozinha de Falchi deixa de ser um lugar onde se prepara comida e torna-se um mix de laboratório com espaço de lazer

FalchiAssim, segundo o arquiteto José Claúdio Falchi, os projetos passaram a ser mais sofisticados, confortáveis e recheados de equipamentos de alta tecnologia. A arquitetura pode contribuir com a integração entre os espaços e o conceito mais aberto para este ambiente. “As cozinhas abertas têm respondido muito bem ao fato de agora os proprietários dos imóveis serem os usuários, e de que cozinhar passou a ser um hobby”, destaca Falchi.

Estes fatores, entretanto, exigem um cuidado ainda maior dos profissionais ao projetar a cozinha. “Trata-se de um projeto bastante técnico, que só será funcional se o arquiteto explorar da melhor forma, a distribuição dos equipamentos pelo espaço disponível, gerando um fluxo contínuo para o trabalho do cozinheiro”, completa. Além destes cuidados, é fundamental somar uma ótima iluminação e ventilação.

Falchi

O projeto da cozinha deve proporcionar ao cozinheiro uma economia de movimentos e um fluxo contínuo de seu trabalho. Isto é consequência de uma proposta bem pensada. Esta preocupação também deve nortear as já famosas “cozinhas gourmet”, que também devem ter todos os elementos, com equipamentos mais sofisticados e adequados ao tipo de comida que o chef gosta de fazer. “Além disso, deve prever um espaço para que os amigos se reúnam perto, de preferência ao longo de um balcão que se une à mesa de comer”, completa José Claudio Falchi.

Os novos eletrodomésticos, mais robustos e tecnológicos também exigem atenção especial em relação ao seu tamanho (onde serão guardados?) e materiais de acabamento. Normalmente são peças de bom design que devem ser valorizadas. Entre os erros mais comuns nos projetos de cozinha, Falchi destaca a criação de espaços muito apertados, circulação truncada, posicionamento longe das áreas de convívio, má iluminação e ventilação.

Um item que merece uma atenção ainda mais especial é o projeto dos armários, que é de fundamental importância para o funcionamento de uma boa cozinha. “Por isso, ainda que hoje em dia a maior parte dos armários seja comprada em fábricas de móveis planejados, sempre desenvolvemos o projeto dos armários em nosso escritório, com base em conversas extensas com o cliente”, afira Falchi. E é justamente esta proposta que será levada às empresas de móveis.

O projeto arquitetônico também é de suma importância para o melhor aproveitamento da luminosidade natural. O ideal é que contenha grandes janelas, se possível, ou menores mas diretamente sobre as áreas de trabalho. As cores utilizadas na cozinha também são fundamentais.

E mesmo em espaços compactos, como o dos estúdios e apartamentos de um dormitório é possível ter uma cozinha funcional. “Planejando bem, é surpreendente o grau de eficiência que se pode atingir, mesmo em espaços pequenos. E lembrando também que se o cliente gosta de cozinhar, porque não “invadir” um pouco da área social?”, sugere Falchi.

Sobre Falchi – O escritório Falchi Arquitetura atua há mais de 27 anos em São Paulo, sob a coordenação do arquiteto José Claudio Falchi – Mestre em Arquitetura pelo Southern California Institute of Architecture – SCI ARC. O escritório registra a marca de mais de 300 projetos residenciais e comerciais em doze estados brasileiros. Conta com uma equipe altamente capacitada para responder com criatividade e rapidez a qualquer desafio, com custos extremamente competitivos. Entre os principais clientes corporativos estão grandes empresas como Microsoft e Sumitomo Corporation; instituições financeiras como a BM&F-Bovespa, Banco Máxima, Banco Paulista e as Corretoras Socopa e Coinvalores; e grandes escritórios de advocacia como Siqueira Castro Advogados. No setor de saúde realizou projetos para o Hospital das Clinicas da FMUSP e para o Hospital São Paulo da Escola Paulista de Medicina – UNIFESP, e em diversas outras empresas dos mais variados setores.

Serviço:
Falchi Arquitetura
Rua Nigéria, 82, Itaim Bibi, São Paulo, SP
(11) 3812 3350
www.falchiarquitetura.com.br